24 de março de 2013

Conhecendo-me. Dando-me a conhecer.

Fui desafiada a desvendar-me um pouco mais, e partilho. Para ler aos bocadinhos, saborear aquilo que sou e digerir o que te aprouver de mim. Lê hoje e volta amanhã para ler o resto. Não tenhas pressa. Eis-me assim:

Se fosse Mário de Sá Carneiro diria que era
qualquer coisa de intermédio entre mim e outra.
Mas eu sou apenas eu, com todos os defeitos
e virtudes daí inerentes.
De cabelo ondulado e rebelde,
há quem diga que este é reflexo do que sou.
Tenho pele trigueira e nariz empinado,
mas nunca fui fria ou calculista.
Já me chamaram de arrogante
e acusaram-me de ter pêlo na venta.
Não percebem que sou apenas entregue aos meus pensamentos,
e muito, muito solitária.
Gosto de boas companhias, e gosto de me acompanhar.
Gosto de sorrir em público, e choro muito em privado.
Nasci perto do mar,
e isso justifica os horizontes alargados.
Quis ser espírito livre,
mas fui apanhada nas amarras do tempo
e no engenho social.
Já quis fugir de tudo,
e já cheguei a fugir de casa.
Dormi ao relento, senti frio, voltei.
Gosto do meu nome,
e não me podia identificar mais com o meu signo e ascendente.
Gosto das manhãs de sol quente no Inverno,
e dos fins de tarde de brisa fresca no Verão.
Não era capaz de viver num país tropical.
Gostava de viver num país cultural.
Dei o meu primeiro beijo aos 12 anos e não gostei.
Hoje penso que reside mais efervescência num beijo
do que em todo um corpo nu.
Tive o meu primeiro desgosto de amor já depois do quarto de século.
Não soube sofrer por isso.
Sou sensível e de lágrimas fáceis.
Choro por mim, choro pelos outros,
e choro quando me sinto estranhamente feliz!
Quis ser professora e fui à conquista do sonho.
Desisti no auge, experimentei Gestão,
depois Marketing, voltei à origem, e de novo à Gestão.
Tenho ânsia de fazer sempre coisas novas.
Falo Inglês, falo Alemão e falo Espanhol.
Gosto de ler nos originais.
Sou viciada em aprender e gosto quando me pedem para ensinar.
Gosto quando me reconhecem polivalência.
Gosto quando me reconhecem profissionalismo.
Tenho valores enraizados, e não gosto quando os deturpam.
Não me arrependo do que faço.
Embora não me orgulhe de algumas entregas mais precipitadas.
Porém nunca tentei apagar o meu passado.
Já caí e aprendi a levantar-me.
Até que caí de novo e levantei-me sozinha.
Caí mais uma vez.
E percebi que nasci para ser uma criança grande sempre a tombar
e a aprender sempre com isso.
Não sou igual a ninguém
e já me disseram que o mundo não estava preparado para mim.
Não gosto quando as pessoas tomam o que as rodeia
como uma verdade absoluta.
Gosto de pessoas interventivas
e quero sempre fazer parte das indagadoras.
Por vezes gosto de me desligar do que me circunda.
O meu mundo seria cor-de-rosa se não contivesse injustiça.
Defendo os fracos.
Já fiz voluntariado com crianças.
Já fiz voluntariado para a 3ª idade.
Depois percebi que existe uma enorme gratidão em trabalhar com animais.
Sentir-me-ia feliz se pudesse trabalhar mais por eles e para eles.
Deixei de comer carne
quando decidi que queria ter um leitão de estimação.
Deixei de comer peixe
quando vi um ser pescado e consequentemente morrer sufocado.
Já tive o cabelo de todas as cores.
Aos 15 anos pintei de roxo
e aos 20 de laranja.
Actualmente está em degradé
porque não gosto de monocromias.
Gosto de cantar.
Canto no carro, quando conduzo sozinha,
e debaixo do chuveiro com a água escorrida a disfarçar o desafinado.
Já pensei em frequentar aulas de canto
mas continuo a preferir escrever do que exteriorizar.
Já pratiquei todos os tipos de desporto,
mas não consigo fazer disso um hábito.
Assim como assim, de vez em quando gosto de natação.
O relógio biológico despertou tarde,
mas em fervor.
Já estive grávida duas vezes,
mas tenho o colo vazio.
Gosto de música, de poesia, de teatro e de cinema.
Ver-me-ia no futuro a fazer arte.
Ver-me-ia no futuro ligada a um lado mais espiritual.
Ver-me-ia no futuro em qualquer outro lado,
vestida de qualquer outra forma,
com outros amigos quaisquer,
a viver uma vida que não é a minha.
Já fui a festas. Já estive em muitas festas.
Já sorri para muitas objectivas.
Hoje sei que não é lá que encontro as pessoas que quero
realmente conhecer.
Sou apaixonada. E sou lunática.
Sou apaixonada pelas coisas belas da vida.
Sou apaixonada pelo sol.
Sou apaixonada pela intensidade com que as coisas acontecem.
Se me dou, é sempre a 100%.
Tal como nas melhores máquinas,
não fico por menos daquela que é a potência total.
Já tentei impressionar alguém.
E já impressionei sem esforço.
Já conquistei sem ser conquistada.
Já fui conquistada sem conquistar.
Construí paradoxos e vivi na discordância.
Gosto de homens bonitos.
Mas sempre fui tentada por aqueles
que sabem conversar.
Sou capaz de passar horas a trocar experiências.
É para mim um dos mais belos prazeres da vida.
Passei 3 décadas a recusar a ideia de me entregar para sempre,
mas houve alguém que, involuntariamente,
me fez perceber quão essa entrega pode valer a pena.
Sou perfeccionista
e por isso demasiado exigente comigo e com os outros.
Gosto do meu sorriso.
Gosto de sorrir.
Não gosto das marcas do tempo no meu rosto.
Tenho medo de envelhecer.
Tenho medo de não chegar a viver o que anseio.
Gosto de banhos de espuma.
Mas não os fiz mais quando ouvi falar na seca.
Adoro oferecer presentes.
E seria irónica se dissesse que não gosto de receber.
Gosto que me ofereçam livros.
Gosto do cheiro de livros.
Gosto de cheiros. Gosto de aromas e fragrâncias.
Gosto de perfumes.
Gosto de identificar as pessoas com o seu perfume.
Tenho um fetiche por relógios,
e somo mais de 70.
Vou trocando aleatoriamente,
e nunca, nunca, chego atrasada.
Não gosto que me façam esperar.
Ninguém, para além de mim, deve ser dono do meu tempo.
Do alto dos meus 165 centímetros
tenho um complexo de altura.
Raramente me vêem sem saltos altos.
Já roí as unhas.
E parei quando tive vergonha das minhas mãos.
Hoje trago-as compridas para compensar o passado.
Passo muito tempo na internet.
Mas não tenho vícios.
E detesto pessoas que precisam de artifícios.
Por favor não fumem junto de mim.
Por favor não bebam em demasia quando estão comigo.
Eu mostro como é possível divertirmo-nos sem mais nada.
Não uso drogas, nem nunca usei.
Nunca experimentei sequer.
Mas fiz parte de grupos de risco.
Vi amigos enveredarem por caminhos duvidosos.
Mas tive sempre o seu respeito por não ceder, mesmo estando junto deles.
No liceu dava-me igualmente bem com os populares e os intelectuais.
Ainda hoje tenho amigos de todos os géneros.
Gosto de estar com todos eles em alturas diferentes.
Não gosto que me olhem de lado.
Fico furiosa com mentiras.
Odeio a hipocrisia e a inveja.
Mas tenho um íman que atrai o que mais abomino nos outros.
Gosto de dormir. Mas não quero deixar de viver para o fazer.
Gosto de filmes.
Serão perfeito é ficar enroscada no sofá em frente do televisor.
Gosto de dramas. Não gosto de ficção.
Já gostei mais de filmes agressivos.
Vi o meu primeiro filme romântico aos 24 anos,
e chorei.
Sou curiosa. E orgulhosa.
Mas gosto de perdoar e ser perdoada.
Já fui traída por amigos.
Mas aos verdadeiros perdoei o erro mais grave.
Li “O Principezinho” quando tinha 14 anos
e senti-me altruísta.
Decidi inspirar e partilhar fé
e fui catequista.
Fui boa aluna no liceu.
Gostei da Matemática e das Línguas,
e revelei pouca apetência para a Geografia
ou para os Trabalhos Manuais.
Na faculdade cheguei a tirar 0,2 numa cadeira
que concluí mais tarde com 16.
Sou determinada e decidida.
Se é para fazer, então que seja bem.
Já gostei muito de preto.
Hoje gosto muito de me rodear de muitas cores.
Já me viram com áurea azul.
Mas também com vermelha.
Nunca me explicaram o que isso queria dizer!
Sou equilibrada.
Mas muito inconstante.
O que hoje é,
pode facilmente deixar de ser amanhã.


Eu, debaixo da objectiva da Ana Luísa.

[Obrigada por me desafiares, Vivi. Gosto destes exercícios.]


I'll translate this post as soon as possible. Please come back here another time. Thank you. .¸¸.*

57 comentários:

  1. Então, mais coisas para pormos na nossa lista:

    -também nasci junto ao mar, ou melhor, a metros da Praia do Cabeço (entre Monte Gordo e Manta Rota, Algarve);
    -também tenho 1,65m (embora o meu novo cartão de cidadão me tenha dado +2cm), mas não há maneira de conseguir usar saltos;
    - a fase experimental cromática com o cabelo - se bem que a minha terminou com o fim da faculdade, altura em que andava mais experimental com cortes e máquinas (pente 4 - check!);
    -os homens que me levam na conversa - é a única coisa que têm em comum os homens com quem já me relacionei. E a maioria deles tinha/tem nariz com carácter :);
    -choro facilmente, sobretudo depois dos 25, até a ver a Oprah dou por mim a chorar (enquanto penso «não acredito que estou a chorar com esta chachada...»).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hás-de dizer-me onde tiraste o teu CC. É que a mim tendem a "roubar" centímetros, e eles fazem-me todos muita falta.
      És assim chorona? Não te tirava pela pinta.

      Eliminar
    2. A sério? Toda a gente que conheço cresceu! Tirei na Loja do Cidadão.

      É, choro, mas a resmungar com a parvoíce. É como se a fluidez lacrimal fosse apenas mecânica, independente do cérebro.

      Eliminar
    3. Penso que até sei porque me roubam os ditos centímetros: vou sempre de saltos altos, e acabam por me tirar mais do que a altura dos sapatos. Aquando da renovação (em 2016) apareço lá de Havayanas... :-D

      Eliminar
  2. Nunca julguei emocionar-me assim!
    Tu brincas com as palavras e dificilmente mostras este lado.
    Muita coisa em comum, outras não.
    Já tinha percebido nas entrelinhas que a palavra filhos te tornava sensível, agora entendo o porquê.
    Quando já não tinha esperanças de engravidar após vários anos, fui confrontada que nem a Fecundação In Vitro (FIV) resultaria e olha para mim hoje. Não sabes o que o futuro te reserva.
    Até o mar temos em comum, o não gostar do tabaco, do álcool, das drogas, entre tanta coisa.
    Outras tão diferentes, cabelos pintados não, relógios só um porque faço alergia a tudo menos ao ouro, desporto pratiquei vários mas 1 deles acompanhou-me uma grande parte da minha vida. Também gosto de homens bonitos, mas com o dom da palavra.
    Adorei tudo o que escreveste, com emoção e sentimento.
    Vou voltar para reler, as vezes que me apetecer, porque cada palavra tocou-me de uma maneira muito profunda.
    Obrigada por partilhares mais um pouquinho de ti.
    Beijinhos querida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que te emocionei. A ti, em particular, porque se não tivesses sido tu, este post não tinha aparecido aqui. ;-)
      Alergia a tudo senão ao ouro, hein? Gente fina é outra coisa. :-P
      Quanto ao assunto que me é sensível, um dia hei-de falar sobre ele sem tabus.

      Eliminar
  3. São três da manhã. Amanhã domingo levanto-me às sete e tenho 21km pata fazer, mas não consegui ficar indiferente a este post, assim como a tantos outros nestes dois meses. Poderia deixar para amanhã um comentário mais pensado, porque realmente este texto, tão teu, merece algo mais que os omnipresentes gosto e lindo nos blogs da moda, mas não seria a mesma coisa, não teria esta intensidade quase impossível fe passar para o indicador da mão direita, por isso, sempre que aqui passar deixarei mais um pouco de mim para ti.
    Não é egoísmo, acho eu, mas gostaria que este blog se mantivesse com esta lotação que permite que ps comentários passem a diálogos.
    Até já.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E ainda nem passaram 2 meses, Diogo. 39 dias. Mais ou menos mês e meio.
      Mas enfim, esses são apenas números. Por aqui gosta-se de palavras; e da emoção que as palavras transportam; e de conseguir encontrar pessoas que desse lado se deixam tocar pelo que aqui partilhamos; e dos sorrisos que esboçamos quando recebemos um comentário bem sentido. A mim podem tirar-me tudo, mas hei-de sempre ter as palavras. Fossem elas o meu trabalho, era uma pessoa feliz.
      Quanto ao blog e aos diálogos intrincados... é por isso que cá estou. Se gostasse de falar sozinha, estava virada para uma parede. Sê egoísta, se o objecto do teu egoísmo for esse. ;-)

      Eliminar
  4. Fiquei emocionada e colada ao ecrã a devorar cada palavrinha, tens o dom das palavras.
    Voltarei a rele-lo com toda a certeza.
    Também não gosto de tabaco e de álcool, nunca consumi ou experimentei drogas, amo o mar, gosto de homens bonitos mas o que me cativa e a boa conversa,já percebi que o assunto filhos te é doloroso mas não desistas, a minha princesa nasceu apos nove anos de muitas tentativas.
    Nunca pintei o cabelo, nem me imagino a faze-lo apesar de estarem a ficar grisalhos, não tenho medo de envelhecer nem das rugas.
    Não gosto da falsidade nem da hipocrisia mas também parece que tenho tendencia a atrair essas mas energias.
    Infelizmente para alem da nossa não falo mais nenhuma língua, nunca saí muito e nunca tive muitos amigos.
    Também sinto que a descrição do meu signo se adequa quase na totalidade a minha pessoa.
    E vou parar por aqui, que o comentário está a ficar longo.
    Adorei conhecer-te e sentir que es uma pessoa que gosta de aproveitar cada momento que a vida nos dá, que viveu boas experiencias e que está de bem com a vida.
    Que sejas muito feliz e obrigada pelas palavras de carinho no meu cantinho.
    Bom domingo
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada também pela partilha, Rosinha. Não sei se realmente estou de bem com a vida, mas tento levá-la em frente do melhor modo possível. Sempre vivi com saudades do passado, mas cheia de sede pelo futuro. Sou assim, ambígua. E por ter personalidade vincada, vou atraindo as tais coisas más dos outros. Penso que poderá ser esse também o teu "problema".

      Eliminar
  5. Não te arrependes do que fazes? xiii, não sei se admire, se desconfie ;) Eu arrependo-me tanta vez.
    Também odeio que me façam esperar (mas espero e aguento estoicamente) e nunca chego atrasada, pelo contrário, estou sempre muito adiantada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Wallis, não me arrependo. Posso questionar-me, mais tarde ou mais cedo, se realmente valeu a pena, mas acabo sempre por concluir que determinadas coisas, em determinados momentos, fizeram sentido. Tal como disse, das grandes decisões não guardo arrependimentos. Só não me orgulho -- lá está -- de algumas entregas mais precipitadas.

      Eliminar
  6. Amei, temos imensas coisas em comum. Também estudo marketing e falo inglês e alemão. Tens uma personalidade muito parecida com a minha, és uma grande mulher :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Audrey. Grande não sou, só tenho os tais 165cm. :-P

      Eliminar
  7. Muito bom conhecer melhor um bocadinho os autores dos blogs que seguimos :)

    Uma conclusão que posso tirar é que tens uma personalidade muito forte :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Às vezes preferia não ter (só porque, de um modo geral, as pessoas não gostam das pessoas que sabem para onde querem ir), mas não podemos mudar o que somos.

      Eliminar
  8. Nunca roí as unhas, vivo junto ao mar, nunca chego atrasada, também gosto de poesia, teatro e algum cinema...adorava usar altos mas não consigo, faço figura de ursa ...
    Muito interessante ler acerca de ti, acho que devias ter dividido por 2 ou 3 posts, para que se pudesse comentar bem todos os aspectos!
    Uma das coisas boas é teres pêlo na venta.Gosto muito da foto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Laura. Quanto à divisão, passou-me pela cabeça, mas nunca saberia onde "travar", percebes? Teve de sair tudo de uma assentada só.

      Eliminar
  9. Genial;talentoso;notável;excelente;brilhante;perfeiro;distinto;extraordinário;considerável;magistral;primoroso;distinto;bestial;divinal...não me lembro de mais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tinhas o dicionário junto de ti, ITK? Fiquei foi sem perceber uma coisa: esses adjectivos todos são para o texto ou para a pessoa? :-D

      Eliminar
    2. Para o texto; adjectivar a pessoa é mais difícil não se conhecendo; Mas, se calhar aplica-se na perfeição; não sei. O que achas tú, mesmo que sendo juíz(a) em causa própria?

      Eliminar
    3. Quer em relação ao texto, quer em relação a mim, abstenho-me de ser juíza da minha própria causa. Vai passando por cá e construindo a tua ideia da escrita e da pessoa.

      Eliminar
    4. Isso de construir ideias é demasiado elaborado...mas eu vou passando por cá.

      Eliminar
  10. Não há comentários suficientemente à altura para este texto.
    Gostei dessas revelações todas!

    ResponderEliminar
  11. Dei o meu primeiro beijo aos 18 anos, o raio do meu cabelo é como o teu cheio de caracóis rebeldes, nunca fugi de casa, mas fiz greve dentro do meu quarto (não dava a roupa para lavar, nem ia às refeições) e quem se lixou fui eu.
    Como tu convivi com todo o tipo de pessoas, mas nunca me desviei do meu caminho, nunca perdi os meus valores.
    Tive amigos que se meteram no mundo dos vícios, tendo um deles morrido com sida.
    Quem me mente uma vez, não me mente a segunda porque não dou hipóteses.
    Cada vez que leio e releio o teu texto, descubro algo de novo sobre ti.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Curioso, na minha imaginação de ti não te via de cabelo encaracolado. :-)
      Volta as vezes que quiseres, Vivi, como já disse em cima, se não tivesses sido tu este post não estava aqui.

      Eliminar
    2. Não te recordas de contar que em miúda a empregada passava-me o cabelo a ferro? Pois eu ainda sou desse tempo! Mas adorava ter o cabelo liso.
      Passa no meu cantinho que tenho lá um selinho para ti.
      Bjs

      Eliminar
    3. Meu Deus, e ainda tens cabelo depois disso? :-D
      Eu cá adoro os meus caracóis; não os trocava por uns fios de cabelo menos rebeldes.

      Eliminar
  12. Bem, há coisas em ti com as quais me identifiquei verdadeiramente. Coemeças com Mário de Sá Carneiro, o poeta do "quase", "quase brasa", "quase além", mas que nunca chegou à outra margem; era apenas o pilar. É um poeta eterno. Também eu caio muitas vezes; talvez vezes a mais para a minha idade. Beijocas e amanhã volto para ler mais.

    http://modanosapatinho.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  13. se já tens isso tudo não será muito difícil arranjar um espaço para a rede :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, Lu. Eu acabo sempre por encontrar espaço para tudo (e todos); até para o que não tem interesse nenhum.

      Eliminar
  14. Uau, tanta coisa!!! Gostei de te conhecer melhor... A fotografia está muito gira!

    Bjxxx

    ResponderEliminar
  15. Respostas
    1. Compensa-se em personalidade o que falta em centímetros. :-P

      Eliminar
  16. Gostei imenso! Temos algumas coisas em comum :)

    ResponderEliminar
  17. Obrigado pelo teu comentário minha querida e deixa-me dar-te os parabéns por este texto que escreveste tão bem =)

    Sim, li tudo agora lol

    Beijocas

    ResponderEliminar
  18. Perfeito, como sempre.

    Não me surpreendi com o conteúdo pois já tinha percebido que és uma Mulher com M gigante. Mas maravilhei-me com as palavras.

    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Raquel. Estou contente por ter-te de volta.
      Já de cabeça levantada? ;-)

      Eliminar
    2. Cabeça levantada mas não pronta para outra...

      bj

      Eliminar
  19. É sempre bom saber mais. Pintar o cabelo de tantas cores assim, que grande maluco. Gosto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece mais louco do que é realmente. Mas a verdade é que, nos piores momentos da minha vida, foi o cabelo quem pagou. Como se lhe mudar a cor nos faça mudar o que somos e os problemas que arrastamos... Paranóias minhas. :-P

      Eliminar
  20. Queria dizer que o texto está bom, mas não está bom, está fantástico! Identifiquei-me com tanta coisa, não me vais dizer que és Leão? :)
    Obrigada por partilhares mais este bocadinho de ti*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, Ana ✈, sou Balança. Equilibradamente desequilibrada. Leão é a minha mãe, e sempre nos confrontámos imenso. O que é que temos em comum?

      Eliminar
    2. :) Pensando bem acho que nao tenho nenhum amigo/a balança! Devemos ser mesmo incompatíveis :)
      - Cabelo rebelde e nariz empinado;
      - "Já me chamaram de arrogante
      e acusaram-me de ter pêlo na venta.
      Não percebem que sou apenas entregue aos meus pensamentos,
      e muito, muito solitária" e tímida (apesar de ninguém acreditar);
      - Ja quis fugir de tudo e fugi, mas de país;
      - Dei o meu primeiro beijo aos 12;
      - Também sou uma chorona!
      - Gosto muito de aprender e gosto ainda mais de ensinar :)
      - Nao me arrependo do que faço porque sei que o fiz por algum motivo (e também porque o arrependimento de pouco serve);
      - Passo a vida a cair e a levantar-me. Acho que e' mesmo esse o significado da caminhada.
      - Ja tive a franja roxa, vermelha e laranja;
      - Sou apaixonada, lunática e nao sei outra forma de me entregar que nao seja na totalidade;
      - Sou demasiado perfeccionista e assusta-me envelhecer;
      - Adoro dar presentes e amo livros;
      - infelizmente, sou a pessoa mais pontual que conheço;
      - Detesto que fumem ao pé' de mim!
      - Abomino a hipocrisia e a inveja, infelizmente parece que também tenho um íman...
      - Sou orgulhosa, determinada e muito decidida apesar de inconstante;
      - Adoro o Principezinho, mas li mais tarde :)
      - Fui boa aluna no liceu!

      Ufaaaa! Entendes agora porque pensei que partilhássemos o signo?

      P.S. Comentário escrito via iPad, e' possível que existam palavras sem acentuação porque eu nao me entendo com isto!

      Eliminar
  21. Gosto tanto de cá vir, mulher... deixas-me a um canto. Que blogue maravilhoso! que bom que é poder dizer que te conheço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Drooooling... Vindo de ti, já sabes que fico em êxtase. :-D

      Eliminar